faz de conta que o que é, é!... avança o peão de rei.

...
o mistério difícil
em que ninguém repara
das rosas cansadas do dia a dia.

José Gomes Ferreira

Brel, sempre e eu... j'arrive!

Loading...

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Cada tempo tem a sua moeda

Cada tempo tem a sua moeda
Já contei tostões
tostão a tostão.
Agora,
agora há quem conte cêntimos
cêntimo a cêntimo.
Eu já não!
Mas olho em volta
e vejo tantos que sim
… e tanto que sentimos!
.
Cada tempo tem sua moeda,
e, cada moeda tem o seu verso,
isto é, cara ou cunha,
melhor ainda: punho ou pulha!

2 comentários:

Maria disse...

A insónia dá-te uma inspiraçao muito especial...
Bom dia aí!!!

Justine disse...

O verso e o reverso, como tudo na vida!
(noites bem aproveitadas...)