faz de conta que o que é, é!... avança o peão de rei.

...
o mistério difícil
em que ninguém repara
das rosas cansadas do dia a dia.

José Gomes Ferreira

Brel, sempre e eu... j'arrive!

Loading...

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Bom dia!

Mais um. Para mim, como se fosse 2ª e já é 3ª. Assim vão correndo. Uns atrás dos outros e todos atrás de mim. Ou à minha frente...

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Bom dia!

Chove no Zambujal. Já vou a caminho do CC. Que será de balanço. E de trampolim. Como sempre, Mas, às vezes, mais.

domingo, 28 de novembro de 2010

Lá para o meio-dia de cá, os ministros das Finanças da UE vão reunir para chegar a conclusões sobre o "plano de ajuda" à Irlanda, a que chamam "de resgate". O facto de ser domingo tem a ver com amanã ser segunda-feira e "os mercados" estarem à espera dessas conclusões para decidirem como reagir à taxa de juro que for acordada para o montante a emprestar, que se aproxima do limite dos 100 mil milhões, que andará pelos 80 e tal milhões. Para a Grécia, o primeiro da série dos PIGS (Grécia, Irlanda, Portugal e Espanha por uma ordem - Portugal, Irlanda, Grécia, eSpanha - com as porcas conotações que se podem ler, in english) que dê o juro acordado foi de 5,2%, agora a Irlanda começou por aceitar - e percebe-se porquê - os 6,7% que foram propostos.

Lá vão estar eles a discutir as décimas (anteontem, por aqui, discutiram-se as derramas às centésimas...)

Bom dia, Zambujal!

Dormi bem. É domingo e está sol. Não é preciso mais nada. Por agora...

sábado, 27 de novembro de 2010

Um livro que exacerbe

Por vezes, assim de tempos em tempos, quase (mas muito longe...) em desespero, atropelam-me dois versos do Sentimento dum Ocidental, do Cesário Verde:

E eu, que medito num livro que exacerbe,
quisera que o real e a análise mo dessem.
.
Mas é uma chatice! O real e a análise não dão nada a ninguém... porquê me iriam dar a mim o livro em que medito e que queria que exacerbasse?
Só com muita força de vontade, muito trabalho... e algum talento.

Bom dia!

As horas, que noite-a-noite costumam ser calmas, de repouso e recuperação, foram, nesta passagem de ontem para hoje, vividas como se, acordadas, tivessem estado num "outro mundo". Não foram de sonho ou pesadelo, ou insomnes como por vezes acontece e até úteis são. Foram "acordadas" num "outro mundo". Numa "ponte" de curtas horas, construída numa confusa amálgama de episódios vividos e de situações não vividas, mas que o poderiam ter sido ou estar a ser. Num convívio com gente que só continua viva nas memórias dentro de mim e que, em noites como esta, me (a)parecem reais, intervenientes, de carne e osso que já foram.
Acorda-se, se dormido se esteve..., cansado, desejando recuperar, depressa, a vida que continua, neste mundo recomeçado, no viver do dia amanhecido. E que vai ser.

Ah!, a meteorologia?!... o sol espreita e combate a geada que embranquece os campos em volta e o frio que vai continuar. Está a ajudar!

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Bom dia! 'Tá frio por aqui...

Uma manhã daquelas em que não apetece muito sair do quentinho... Mas há que!
Depois DO DIA e do dia seguinte, de lguma ressaca e balanço (ainda assim com Universidade Sénior e "olhar para" os documentos da Assembleia Municipal, hoje vai ser um dia en cheio. Um dia de assembleias. A tal municipal (derramas, IMIs e outras coisitas) e a do Juventude Ouriense (utilidade pública oblige). Vamos a ele, ao dia, e a elas, às assembleias.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

El(o)ucubrações

Não me julgo “o melhor do mundo” nem quero que todos pensem como eu… mas não aceito (e rejeito!) que outros queiram fazer de mim igual a eles e, por isso, pior do que sou.

Bom dia!

5ª feira. Outra vez quinta-feira. Dia de feira aqui por Ourém, embora hoje não dia de avante!, que fica para amanhã.
Informação meteorológica: não está com má aparência.
Que seja um bom dia seguinte para os dias seguintes!

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

terça-feira, 23 de novembro de 2010

El(o)ucubrações

O culto (oculto) da personalidade, ou a veneranda reverência, isto é, as venéreas andas da veneração!

Bom dia!

Chove no Zambujal! Chove neste dia de véspera. Todos os dias, até ao último, são dias de véspera. Mas uns são-no mais que outros. Esta terça-feira é véspera de uma quarta-feira. Que será igual a todas e vamos tudo fazer para que seja diferente. Para que seja uma outra véspera.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

El(o)ucubrações

- Que está p'raí a elucubrar?
- Estou a eloucubrar... em loucas elucubrações!

Bom dia, por aqui cinzento e chuvoso

Bom dia, segunda-feira. Primeiro dia da semana (porque parece que o domingo é sempre o último dia da semana que passou). Primeiro dia desta semana. Desta semana! Vamos a ele-dia, vamos a ela-semana, vamos a ela-Greve Geral. E o mais que for!

domingo, 21 de novembro de 2010

Bom dia!

Por aqui está sol. Inseguro. A noite foi de chuva e folhas a cair. Há núvens no céu. Está boa a temperatura, diz ela que foi lá fora.
É domingo. Porque ontem foi sábado e os dias sucedem-se como está convencionado.
Ontem, o tempo aguentou-se entre as 3 e as 6 na Avenida da Liberdade, como era desejado e pedido aos santinhos. De vez em quando uns pingos, mas isso foi culpa daqule chato daquele helicóptero que devia ser dos de ataque aos fogos e por isso nos molhava, helicóptero que nos acompanhou a par e passo, com um barulho irritante e (lá do) alto (próximo demais). Deve ter-nos contado, e fotografado um a um, uma a uma! P'rós arquivos da NATO e seu "novo conceito estratégico".

sábado, 20 de novembro de 2010

Bom dia!

Está sol.
Estamos em trânsito.
PAZ sim!, NATO não!
NATO, dissolução (art- 7º da CRP)

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Maintenant je sais

este está a querer ser o meu canto,
o meu espaço.
canto a canto.
passo a passo.

Bom dia!

Bom dia, sexta-feira! Para os amigos.
Informação meteorológica habitual: chove no Zambujal.
Bom dia, Sexta-feira... como diria o Robinson àquele que o Swift criou de uma costela do pobre náufrago para que ele não continuasse sozinho, até porque um homem em nenhum lugar pode acreditar que está no paraíso se não tiver companhia. Embora companhia escrava ou companheira serva e procriadora não sejam bem companhia como eu a entendo. São critérios racistas e machistas lá desses autores de ficção (e eu é que sou do cordel...).

Bom... estou a baralhar tudo. Ainda não acordei por completo. Desculpem lá qualquer coisinha, como canta o Paulo do Carmo ao piano com Bernardo Lajinha.
.
Bom dia, sexta-feira!

(Olha... ontem era quinta e hoje não é quinta outra vez... espero que esta semana seja mais lenta nesta correria que é a vida! E vai ser uma semana tão cheia de coisas daquelas muito muito importantes!).

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

S(ab)er ou não ser

Sei o que sei!
E sei,
pelo muito que sei,
que há tanto que não sei!
Só me resta,
no tempo que me resta,
continuar a aprender!

Bom dia!... 'tá de chuva no Zambujal

É 5ª feira... o quê?!, já?!...
'Inda ontem foi 5ª feira, dia de mercado em Ourém e de avante!, e já hoje é outra vez 5ªfeira, dia de mercado em Ourém e de avante! ?!
Bolas, estas semanas estão a andar muito depressa... Espero que amanhã seja 6ª feira, e depois de amanhã sábado.
Antigamente era assim...
Olhem... bom dia!, boa 5ª feira, feia a manhã.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Diálogo luso-ucraniano na manhã desta quarta-feira

- Bom dia, sotor Sérgio (sou eu!)
- Bom dia, Lessya (é ela, a "nossa" ucraniana)
Mais umas coisas de simpatia mútua sobre o tempo, a chuva na noite, o sol no dia a nascer.
Umas festas dela no Mounti que me estava a fazer companhia chegadinho ao computador, e umas trocas de mimos entre eles (gostam muito uma do outro ou um da outra).
Resolvo passar a coisas práticas:
- A Lessya vai fazer uma máquina de lavar roupa? (assim... bem silabado)
- Há roupa?
Foi à casa de banho ver, ao cesto da roupa suja...
- É pouca para uma máquina...
- Pois... mas se fizer uma máquina, vou tirar o pijama e vou buscar mais roupa...
- Não... fica para sexta-feira... é pouca roupa.
- ...tá bem... para sexta-feira! (e fui fazer o meu pequeno-almoço com o pão que ela trouxera).
A Lessya entrou na casa de banho... e eis senão quando ouço a máquina de lavar roupa a arrancar na lavagem de uma camisa, umas cuecas (só uma) e umas meias (só duas).
.
Tenho de aprender ucraniano!

Bom dia, pessoal!

Aqui, pelo Zambujal, o tempo hesita. Choveu durante a noite mas o sol espreita.
Eu também ainda não me decidi...
Entrámos na recta final. Da cimeira da NATO, da Greve Geral.
Tem de se dar ao pedal!

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Bom dia!,,, só para amigos/as

Está sol aqui pelo Zambujal!
... e há tanto para/por fazer...
Vamos agarrar a vida pelos cornos!
Até já.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Pior a emenda que o soneto!

O Homem quis desmentir as notícias da sua morte e os boatos sobre a sua homossexualidade. Mas baralhou-se.
Escreveu uma nota para a imprensa:
Fulano de Tal vem declarar que os boatos sobre a sua morte são falsos, e que as notícias da sua homossexualidade são prematuras!

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

S. Martinho, castanhas, água-pé... e idade

Há muitos anos, escrevi:
.
É pelo S. Martinho que se sabe
o que é em-velho-ser...
---------
Então, cuidava saber,
hoje, sei!

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Triplo-salto

No tempo em que eu pensava vir a ser "alguém" no desporto, particularmente no futebol ou no atletismo, não me limitava ao treino. Estudava as modalidades. O facto é que, tendo umas bases, quer práticas, quer teóricas, muito limitadas e tardias - nem os meus pais, nem qualquer parente ou vizinho, praticaram ou foram "amantes" de qualquer modalidade ou clube desportivo -, também não treinei com o afinco necessário nem estudei com a exigida atenção. Fiz umas coisas, aprendi umas coisas... Que retive e de que, hoje, me lembro como se fosse ontem, como é costume dizer-se.
É assim, aliás, em tudo. Fiz e sei umas coisitas...
Por exemplo, e é por esse exemplo que estou nesta ladaínha, o triplo salto.
Tomava balanço no escritório do meu pai, corria o corredor que teria aí 3 metros, atravessava a cozinha, passava pela varandita, fazia a chamada no degrau, e lá fazia o triplo-salto já no corredor do quintal. Não podia ser grande o salto triplo porque o muro era logo ali, a uns dez metros, mas era o que se arranjava a arremedar o que via fazer nos Estádio José Alvalade a alguns, como o Rui Ramos, do Belenenses, que colocou o nosso recorde na marca extraordinária (para a altura) de 15 metros e 54! (hoje, o Nelson Évora é campeão olímpico com 17,67 m., tem o recorde nacional em 17,74 m., e o recorde mundial é de um inglês com 18,29 m.).
Como a preparação e a técnica evoluiram neste intervalinho (!!!) de tempo!
Aprendi que o triplo-salto era pulo-passo-salto. Dava-se um pulo grande (o maior que se podia), um passo intermédio (para aproveitar o impulso sem desequilíbro) e acabava-se com o verdadeiro salto para cair na caixa de areia o mais longe possível bicicletando no ar (no meu quintal deveria ser para lá do muro, já no pátio dos vizinhos... ).
Agora... bem, agora são mesmo três saltos! Não há cá pulos e passos intermédios. É salto, salto e salto. Ah!, aqueles amortecedores e molas chamados pés!
Porque é que estou a escrevinhar sobre isto? Porque me apetece, e chegaria. Mas, também, por causa das eleições no Brasil. Foram um passo, dizem alguns. E com toda a razão, embora se possa descortinar uma certa frustração pelo tamanho do passo, esquecendo-se, quem o possa sentir, o que foi feito para o impedir (valeu tudo!), e o que teve de ser feito para que ele se desse.
O caso é que os saltos se fazem a partir dos passos. E o Brasil (e todos nós) parece estar a treinar triplo-salto e a apurar as suas técnicas. Às vezes, tem de se voltar atrás porque se pisou a tábua e a linha de partida. Não foi o caso do Brasil neste domingo. Brindemos.
O certo, certo é que não se passou dos 15 metros do Rui Ramos para os 18 metros do Nelson Évora sem muito treino e estudo. E não só do atleta, evidentemente!

(onde é que hei-de colocar este "post"?
Bom... vai para as ficções do cordel,
não quero pesar demasiado o anónimosecxxi!)