faz de conta que o que é, é!... avança o peão de rei.

...
o mistério difícil
em que ninguém repara
das rosas cansadas do dia a dia.

José Gomes Ferreira

Brel, sempre e eu... j'arrive!

Loading...

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Sintimentes

Vivo vizinho da casa (ou lugar) onde a santa foi (a)par(ec)ida. 
Como ela, não faço milagres!
&-----&-----&
Trabalha, enquanto é tempo!
&-----&-----&
Não esqueço nada, mas a tudo me vou habit(u)ando. Fazendo de monge com aquilo de que este é feit(i)o... de hábito.
&-----&-----&
Não te iludas, iludir(-se) é viver as desilusões antecipadamente.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Actualizando (de 24 de Julho... e pela avenida de Ceuta)

Passos a passos, portas a portas, (es)cavaco a (es)cavaco...
até quando, Catilina?

De dívida em dívida,
de dúvida em dúvida,
de desgoverno em desgoverno,
de juro em juro,
de troika em troika
(troikando e rindo),
de avaliação em avaliação,
de passos em falso em passos em falso,
de portas abertas em portas abertas,
de cavaco em cavaco
(relvas já foi,
gaspar já foi,
álvaro já foi,
outros já foram,
outros irão ou não),
de salvação em salvação,
(de d.sebastião em d.sebastião)
de Luís XIV em Luís XIV,
de privatização em privatização,
de destruição em destruição,
de especulação em especulação,
de mentira em mentira...
até à dívida impagável,
até ao desastre final (?)

OU

de chumbo constitucional em chumbo constitucional
de protesto em protesto,
de manifestação em manifestação,
de luta em luta
até à revolução fatal
(para eles!...)