faz de conta que o que é, é!... avança o peão de rei.

...
o mistério difícil
em que ninguém repara
das rosas cansadas do dia a dia.

José Gomes Ferreira

Brel, sempre e eu... j'arrive!

Loading...

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Ainda?, sempre!

Cá vou,
não cantando e pouco rindo,
mas contando e continuando
pelos meus cantos
... como se fosse um cisne.

Assim,
cisne me vejo,
no espelho da juventude,
enquanto,
aos olhos de muitos outros,
serei o patinho feio
e já fora de prazo
(o que até tinha asas e não quis voar!)

Cá vou,
contando e continuando,
pelos meus cantos e cantinhos,
a procurar chegar,
com o "canto do cisne",
onde a voz me chegar.

Ainda quanto tempo?
ainda o que for.
Sempre!

quarta-feira, 12 de junho de 2013

É preciso (des)ocupar o "espírito" quando demasiado ocupado

Há quem cante, eu tento contar.
Há quem desenhe durante e ao lado das notas, eu escrevo ou jogo com as palavras. (Quase) tudo para deitar fora:


  • A dívida
  • A dúvida
  • As dúvidas
  • As dívidas
  • A dívida interior
    • (do imo)
  • A dúvida pública
    • (soberana!)
  • A dívida cartesiana
    • (metódica!)
  • A dúvida em % do PIB