faz de conta que o que é, é!... avança o peão de rei.

...
o mistério difícil
em que ninguém repara
das rosas cansadas do dia a dia.

José Gomes Ferreira

Brel, sempre e eu... j'arrive!

Loading...

domingo, 30 de agosto de 2015

Um desagato

Estavam a conversar, e o homem ouviu-se a falar sozinho.
De súbito, ela (a)correra ao miado do (a)pelo de gato.
O homem, em-velho-sido, ficou meditabaixo e cabismudo. Embatocado. 
Tinha engatada qualquer coisa para dizer, na conversa que discorria interessante (achava ele...), sobre a "doce vita do Fellini a propósito dos ilúcidos envelhocimentos. Desengatou e, para desembuchar, bebeu um trago já... tardio. 
E o homem assim ali ficou. De burro amarrado. A imagicar. Até que re-engatou com frases batidas, godinhadas ou miacoutadas, que o fizeram desamuar e sorrir: sentes-te tratado abaixo de cão?, então...?, quem não tem cão, é destratado abaixo de gato!

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

emCURRALado entre o NADA e o TUDO

NADA é O QUE esperavas
NADA é COMO desejaste
QUE 
viesse a ser

TUDO será O QUE quiseres
TUDO será COMO lutares
PARA QUE 
venha a ser

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

conversas in prováveis

- ... pronto... já lavei os dentes... vou "ouver" o telejornal... recomeço do início?
- ... acho bem... mas por mim deixa estar...
- ... lá estás tu... não t' interessa?
- ... interessa... mas já sei como vão começar.
- ... lá estás tu...
- ... vais ver se não é com a  tragédia humanitária dos migrantes...
- ... e achas que não devia ser?
- ... não é isso... não devia era ser esta tragédia com a Merkl e o Hollande à procura de "soluções solidárias" a impor aos seus cúmplices nas causas da tragédia...
- ... olha!!!!... é que é mesmo... bruxo!... sabias disto da Hungria?
- ... do muro?
- Sim. É inacreditável!... és bruxo?
- Pois sou... mas a culpa não é minha, é do Marx, do Álvaro e de outros que tais...
- ... mas qu'é que querias?
- Nada! Isto é, tudo... vê lá isso enquanto acabo o Porta da Ravessa (preço Lidl), ouço ao longe o Portas e as suas travessuras, como a papa da maçã, das nossas maçãs... já lá vou... a seguir deve ser o Jesus e as suas judiarias, e o Vitòria e as suas derrotas,,, não tenho pressa... a não ser por ti! 
- ... cá te espero!

sábado, 22 de agosto de 2015

emCURRALado - Auto-crítica...

Sou um desmesurado egoísta,
gosto demasiadamente dos outros!

emCURRALado - Mara(vilha)do com a vida!

A MARADA DA VIDA, 
O MARADO DO CORPO

Os olhos,
os dentes,
o joelho,.
o "coiso",
as "coisas",
o interior,
o intestino,
o anus,
E OS ANOS!

A maravilha
da marada da vida
da prolongada vida.

sábado, 15 de agosto de 2015

No fim do jantar de um dia destes

- ... mais uma vez não conseguimos acabar o jantar a tempo de ouvir o noticiário das nove...
- Pois é... também não nos faz falta nenhuma.
- Ess'agora... e vinda de ti...
- ... queres saber se a Maria vai p'ra Belém?
- ... já lá está uma... de que outra Maria falas?
- Daquela com que eles devem estar a encher o noticiário... da de Belém!
- Essa tem piada!... mas também ficariamos a saber se o regate da Grécia...
- ... morto ou vivo? Já se sabe para quem são as alvíssaras!
- Pronto, está bem... queres uma infusão?
- Antes isso que uma indigestão...obrigado!

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Antes de rasgar e de deitar para o cesto dos papeis

(a arca está cheia...)

Papel recente não datado 
(por altura do referendo na Grécia)

Como me sinto no meio desta gente?,
desta gente que não sabe NADA da Grécia e da sua História
     (clássica e recente)?
Como me sinto a ouvir esta gente?. 
esta gente que só conhece (e mal... e facciosamente) UM Sócrates?
Desta gente que discute (diz coisas...) sobre o referendo,
     gente para quem tudo é visto na visão que lhe é imposta:
     na visão do negócio e do imposto!
Como me sinto COM esta gente?,
     com esta gente que come (e bebe!) e com-vive comigo...
Como me sinto 
no meio, a ouvir, com esta gente?
Bem! (quase sempre, às vezes mal...)
São os outros,
sou eu!

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

A "batalha" dos tomates

Em suma:
“Há para aí algum valente que se queira bater com um outro valente?”

                                   Ode ao Tomate

(cid simões em as palavras são armas)

---------
Meteram-se comigo, desafiaram-me. 
Sem poder já recorrer ao enorme Pablo Neruda, pedi ajuda a um vizinho e amigo que me ofereceu esta "prenda" de mais de um quilo.
Ora toma, para que saibas que por estas bandas também há tomates que não envergonham ninguém! Bem pelo contrário...