faz de conta que o que é, é!... avança o peão de rei.

...
o mistério difícil
em que ninguém repara
das rosas cansadas do dia a dia.

José Gomes Ferreira

Brel, sempre e eu... j'arrive!

Loading...

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Borsalinadas

Desta vez, não almoçava sozinho. Aliás, a conversa saltitava de e para outras mesas. Havia alguma promiscuidade...
Na televisão, vinha à baila (ou"ao baile"?) a "face oculta". Da outra mesa, ouviu-se a boca do culpado vir a ser o contínuo, que tudo iris ficar em "águas de bacalhau", e da mesa onde estava, saltou boca parecida. Não se confia na justiça, 'tá visto! Eu apenas quis sublinhar que há sujeitos que, indo ou não ser condenados, já estão... condenados.
Voltei à nossa conversa. A dois. Eu explicava ao meu amigo a "mecânica" da Assembleia Municipal e o que tinha acontecido na sessão de sexta-feira, um pouco empolgado pela lição que foi, e pelo papel que nela desempenhara.
De repente, saiu-me "uma". Que, se estivesse sozinho, se o papel da mesa ainda fosse o mesmo, onde se pudesse escrever e não aquele novo (espero que provisório...), preto, teria ficado registada a borsalinada. Para memória futura (g'anda frase popularizada pelo caso Casa Pia).
Não a trouxe no papel, mas trouxe-a na cabeça:
A incongruência deste tempo: havendo tanta gente aqui na terra com qualidade (enumerei uma larga lista de nomes, tão larga que nela me inclui!), estamos (!) todos ausentes de responsabilidades formais e efectivas na vida em sociedade, e esta está entregue a mediocres, cujas únicas "qualidades" são a ambição pessoal e a falta de escrúpulos.

1 comentário:

GR disse...

Mais um bom texto.
Totalmente de acordo.
Estamos no meio de medíocres e corruptos (os que ainda não o são, estão a largos passos para o serem e não olhando a meios, para atingirem o fim, que só a eles “beneficiam”).
Esta situação irrita-me, enfurece-me!

Bj,

GR