faz de conta que o que é, é!... avança o peão de rei.

...
o mistério difícil
em que ninguém repara
das rosas cansadas do dia a dia.

José Gomes Ferreira

Brel, sempre e eu... j'arrive!

Loading...

segunda-feira, 26 de julho de 2010

«Curtas (mas verdadeiras)»... diz ele

Ele, o gajo, o mano-velho (faz-de-conta e por isso valendo mais porque somos manos por escolha mútua), é assim! Teimoso como um casburro. Em vez de valorizar a blogaria entrando nesta esfera, manda-me «curtas (mas verdadeiras)» (diz ele...), e eu que as publique se quiser. E eu quero. Por isso, aqui vão umas amostras, isentas de direitos de autor, de IVA e dessas coisas:

«1. -

Ele: Já leste o meu livro?

Eu: Não!

Ele: Este gajo!?... não leu o meu livro!!, nem, ao menos..., aquela parte em que tu entras?

Eu: Que página é?

.

2. -

Outro: Quando o meu 3º filho nasceu, eu estava na prisão.

Eu: Mas era teu filho à mesma ?!

.

3. -

Ela: Já que estão aqui tão perto, podiam vir almoçar cá a casa!

Eu: O que é o almoço?


(à suivre)»


Isto é: há mais! Mas, antes, uma minha:


A. -

Eu: ... então passemos ao debate. Quem é que quer começar?

Eles: ...

Eu: O primeiro é sempre mais difícil...

O 1º: ... posso ser eu... naquele seu livro sobre a moeda única...

Eu: Ah!... foi você que o comprou?!

2 comentários:

Justine disse...

Humor cáustico, ainda mais por serem histórias verdadeiras...

GR disse...

Falas em dois livros distintos.
O primeiro tão lindo, tão cheio de memórias. O segundo muito útil!
Fomos todos nós que os compramos.

Bjs,

GR