faz de conta que o que é, é!... avança o peão de rei.

...
o mistério difícil
em que ninguém repara
das rosas cansadas do dia a dia.

José Gomes Ferreira

Brel, sempre e eu... j'arrive!

Loading...

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Já nada é certo... de tão certas querermos fazer as coisas

Antigamente (tantas vezes escrevo este advérbio!) havia esperas e mistérios, esperanças e adivinhações, que davam outro encanto à vida.
Será menino ou menina?... e só se sabia naquele momento mágico em que uma outra vida começava a sua longa caminhada para a autonomia.
Irá fazer sol ou chuva no dia do almoço programado para Outubro?, poderá ser ao ar livre ou teremos de ir para debaixo de telha?... e ficávamos na duvida até o dia chegar, e verificarmos que nos esqueceramos do guarda chuva para chegar ao restaurante.
Os tempos mudam. Porque os fazemos mudar. E a eles, aos tempos novos por nós mudados, nos temos de ir habituando.

3 comentários:

Justine disse...

Pois é verdade, mas às vezes custa muito!
On s'habitue...

Pata Negra disse...

Hoje acordei e ouvi logo uma música pimba que de certa forma retrata a diferença dos tempos:
" mas quem será? mas quem será? mas quem será o pai da criança?!"
- Qual menino ou menina, até já se consegue saber com antecedência se é híbrido!
Um abraço a esticar o cordel

GR disse...

Vivemos num mundo onde a magia já não existe e a surpresa é programada.

Bjs,

GR