faz de conta que o que é, é!... avança o peão de rei.

...
o mistério difícil
em que ninguém repara
das rosas cansadas do dia a dia.

José Gomes Ferreira

Brel, sempre e eu... j'arrive!

Loading...

sábado, 28 de maio de 2011

A memória e as inevitabilidades (das e como escolhas)



uma coisa é o que não é. a inevitabilidade das escolhas tornam a inevitabilidade uma escolha. 
(será felicidade? não sei… e o que é isso de "ser feliz"? sabe-se que se foi feliz, luta-se para o ser - para si e para os/no meio dos outros -, nunca se é porque se está - sempre - a deixar de ser.)

não há mensagem, tem a mensagem que um abraço tem.





Sem comentários: