faz de conta que o que é, é!... avança o peão de rei.

...
o mistério difícil
em que ninguém repara
das rosas cansadas do dia a dia.

José Gomes Ferreira

Brel, sempre e eu... j'arrive!

Loading...

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

De vez em quando...

De vez em quando, o estranho (entranhado?, dorido!) sentimento de ter esgotado o tempo a passar ao lado.
De quê? De tudo. De nada. Da vida.
Antes, caminhando por serventias abertas e por caminhos e ruelas sem nome;
há pouco, por travessas e ruas com nomes
(alguns queridas lembranças),
por estradas municipais e nacionais;
agora, mais por IPs, SCUTs e auto-estradas com números e portagens.
Mas, hoje, vindo de volta ao canto este,
em fuga a rotinas de sempre, meti os passos por outras veredas,
entrei por onde sempre ao lado passara, décadas e décadas a fio,
pisei o que estava virgem de meus pés,
vi o conhecido de outras perspectivas,
descobri o que estava ali, só à espera de ser descoberto.
Logo ali, a dois passos...
Que dei, pela primeira vez.
Fiquei olhando, e olhando-me.
Com o sentimento de ter esgotado o tempo a passar ao lado. De tanto tempo perdido...
... Não! Não é verdade! De de ter passado ao lado de tanto tempo não ganho.
A quê? A tudo. A nada. À vida.
Hoje, neste regresso, recuperei algum desse tempo.
Porque não estava de todo perdido!

3 comentários:

Justine disse...

Está um bom exercício nostálgico, mas fora de proporções com a realidade da tua vida...
Só quem não te conheça:))))

GR disse...

Melhor que ninguém, só tu sabes recuperar locais, lugares e tempo.
Mas só o sabe fazer quem ama na verdade a vida.

Bjs,

GR

Raquelsav disse...

Eu dou como perdido o tempo em que, por desconhecimento ou acaso ridículo, não acompanhei este seu blog... Sim... dou por perdido um tempo que nunca tive... um tempo perdido que foi hoje encontrado... "mais vale tarde do que nunca" diz o ditado e neste caso bem se aplica... a "espiadela" rápida fez-me sentir "em casa"... mais uma casa que encontrei! Que boa forma de começar o novo ano... Obrigada